Criar um Blog-Sexy
Meu Blog-Sexy
Denunciar
Próximo Blog

Menina de quatro anos ajuda polícia a desvendar assalto e prender babá

Postado em 19/7/2014 em 04:59 arquivado em aconteceu de verdade - 1 Comentários - Incluir Comentário - Link

Ao conversarem com criança, os policiais descobriram que os assaltantes não se encaixavam na descrição física dada pela babá



A polícia de Ferndale, no Estado de Washington (EUA), contou com a ajuda de uma garotinha de 4 anos para desvendar um assalto e, de quebra, prendar a babá dela como principal suspeita.

Dois homens armados invadiram a casa onde Abby era cuidada pela babá, uma adolescente de 17 anos que não teve o nome revelado, na última quarta-feira (18). Após anunciar o assalto, eles as trancaram fora da casa e roubaram consoles de videogames, notebooks, um iPod e até mesmo o cofre de porquinho da menina.

À polícia, a babá adolescente disse que os suspeitos do roubo eram duas pessoas negras. Ela chegou a acusar um dos vizinhos da casa, que é negro, como sendo um dos assaltantes.

Porém, ao conversarem com Abby, os policiais descobriram que os assaltantes não se encaixam na descrição física dada pela babá. "Eles tinham a pele branca", disse a menina.

Ao confrontar a babá, a adolescente confessou a participação no roubo. Ela, o namorado de 16 anos e o segundo suspeito, Ruben Benjamin, 18, foram detidos e serão indiciados por roubo.

Abby ficou feliz de ajudar a polícia. "Eles [a polícia] conseguiram pegá-los porque eu sou uma super-heroína." Mas ela não gostou nada da situação pela qual passou. "Quarta-feira foi o pior dia da minha vida", disse à rede "Q13Fox".
 


Menina de nove anos escreve livro para tentar arrecadar US$ 1 milhão e ajudar o irmão doente

Postado em 19/7/2014 em 04:59 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

A fim de arrecadar US$ 1 milhão para o tratamento de combate à rara doença do irmão, a menina Mackenzie de 9 anos de idade escreveu um livro de ficção com personagens baseados em sua família.

A história da pequena escritora começa em Cape Coral, uma cidade praiana da Flórida, Estados Unidos, quando os pais Brandi e Jeff começaram a notar que o caçula Gavin, de um ano e meio, não conseguia mais se alimentar, brincar ou segurar objetos sem tremer. O garoto ainda vinha sofrendo com frequentes convulsões.

Brandi e o garoto viajaram de cidade em cidade tentando encontrar um diagnóstico para a doença do menino, enquanto Jeff e Mackenzie esperavam em casa por notícias. Quando as notícias vieram, não eram nada boas. Descobriram que Gavin tem um tipo raríssimo de distúrbio, chamado também de doença mitocondrial ou “Mito”. Segundo o site Estilo, “Esse mal deteriora as células, causando fraqueza muscular, doenças no coração e fígado, além de prejudicar o crescimento e acarretar uma série de outras doenças gravíssimas – já que o corpo torna-se incapaz de combater infecções”.

Os gastos com exame e tratamento foram tantos que a família já estava entrando num tipo de crise, passando por dificuldades ao pagar a hipoteca da casa, alimentação e os produtos médicos para o garoto.

Quando Mackenzie compreendeu a gravidade do problema, decidiu fazer algo sobre isso. Sua ideia: Escrever um livro.

A obra se chama “Mighty Mito Superhero” ou “O Poderoso Super-Herói Mito”. O enredo conta a história do super herói Mito Action G (inspirado em Gavin), que tem o poder de curar crianças que sofrem de convulsão. O arui-inimigo do super-herói é o terrível vilão chamado Mito.

A menina de 9 anos fez suas próprias pesquisas sobre a doença para escrever o livro e ainda incluiu na obra fotos de sua família no decorrer dos anos, mostrando “como ajudou Gavin durante esse tempo”.

No período de uma semana US$ 20 mil foram arrecadados com a venda de 500 exemplares. O objetivo é conseguir US$ 1 milhão que será destinado, parte para o tratamento de Gavin, parte para as pesquisas sobre doenças mitocondriais.

A garota disse ainda que: “Isso faz com que eu me sinta muito bem porque eu sei que, mesmo que Gavin não se sinta bem, eu posso ajudá-lo de alguma forma”. [Estilo]

Para saber mais sobre as vendas e sobre a família Lawrey, basta acessar a página “Gavin Lawrey, The Mighty Mito Superhero” no Facebook.

Não imagino outra forma de concluir esta matéria de outra forma, que não afirmando que, talvez, a história do livro não seja mesmo de “ficção”. Pois, é por meio de iniciativas como a da garota Mackenzie e de muitas outras pessoas que passam por situações semelhantes, que podemos reconhecer que os “Super-Heróis” realmente estão entre nós.

 


Menina é apedrejada até a morte na Síria por ter conta no Facebook

Postado em 18/7/2014 em 08:46 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Garota foi condenada em tribunal após ser flagrada usando a rede social.

Uma menina síria foi apedrejada até a morte por conta de um motivo impensável nos tempos atuais. Segundo informações, o fato de ela ter criado uma conta no Facebook foi o motivo que causou sua morte.

Fatoum Al-Jassem foi condenada por um tribunal sob alegação de comportamento imoral. Ela foi levada ao tribunal por militantes do Estado Islâmico do Iraque e da Síria depois de ter sigo flagrada usando a rede social.

O tribunal decidiu que ela deveria ser punida da mesma forma que se pune pessoas condenadas por adultério. Ela acabou apedrejada até a morte.
 


Menina de 4 anos está recebendo tratamento psiquiátrico por vício em iPad

Postado em 17/7/2014 em 08:31 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

A relação das crianças com a tecnologia pode ser muito enriquecedora, mas também prejudicial para sua saúde. Uma menina de 4 anos de idade está recebendo tratamento psiquiátrico para se livrar de seu vício em iPad e, assim como outras crianças, ela está apresentando transtornos compulsivos por começar a usar tablets precocemente — a menina é considerada a mais nova viciada em tecnologia da Grã-Bretanha.

Os médicos que cuidam do caso afirmam que a menina está tão viciada nos jogos presentes no iPad de seus pais que sofre de crises de abstinência quando lhe é tirado o aparelho. A notícia surge alguns após uma nova pesquisa provar que metade dos pais permite que seus filhos pequenos usem seus smartphones e tablets, e, em muitos casos, por quatro ou mais horas consecutivas.

O psiquiatra da menina, Dr. Richard Graham, da Capio Nightingale Clinic em Londres, Inglaterra, afirmou que devem existir muitos casos de vício em eletrônicos, como o da pequena britânica. Ele recomendou aos pais que buscassem ajuda o quanto antes para evitar que os problemas se agravassem. Para ter uma ideia, a clínica do Dr. Richard arrecada cerca de R$ 49 mil ao mês com seu programa de "desintoxicação de eletrônicos", realizando tratamentos psiquiátricos com pessoas que chegam a ficar 36 horas online e até manter 20 perfis distintos no Facebook.

"Não deixe seu iPad por aí, porque se você fizer isso, as crianças irão ver todas as suas lindas cores e também irão querer usá-lo. Elas não têm capacidade para lidar com isso e podem ficar viciadas, reagindo com birras e comportamentos incontroláveis, quando os eletrônicos lhes são afastados", explicou o médico.

Especialistas afirmam que os tablets e smartphones se tornaram os novos brinquedos de bebês e crianças e, por isso, os pais devem estar atentos.
 


Escola dos EUA ameaça expulsar menina com cabelo crespo e armado

Postado em 17/7/2014 em 08:17 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Usarei um padrão que costumava usar há certo tempo, a fim de economizar tempo pela correria do momento.

Uma menina de 12 anos foi ameaçada de expulsão pela escola particular onde estuda na Flórida, nos Estados Unidos, caso não cortasse e mudasse o estilo de seu cabelo. Vanessa VanDyke tem os cabelos crespos e com volume, e segundo sua família, recebeu o prazo de uma semana para decidir se iria cortar os fios ou deixar a escola, de acordo com a emissora de TV “WKMG”.

O caso gerou muita repercussão nos EUA, e a escola Faith Christian Academy de Orlando disse nesta semana que não está exigindo que a menina corte os cabelos para continuar frequentando o estabelecimento – eles “apenas” querem que ela mude seu estilo.

De acordo com a família de Vanessa Van Dyke, na última semana um conselheiro da escola advertiu a mãe da menina para que ela alisasse ou cortasse seu cabelo – ou a criança poderia ser expulsa.

A família não cogitou fazer as mudanças, pois o cabelo da menina faz parte de sua identidade. “Ele mostra que sou única. Eu gosto desta maneira. Eu sei que as pessoas vão me provocar porque ele não é liso, mas eu não ligo”, contou Vanessa.

A escola onde Vanessa estuda tem códigos de vestimentas e regras sobre como os alunos podem usar seus cabelos. “Os cabelos devem estar na cor natural e não devem ser uma distração”, dizem as regras, que citam como exemplos que não podem ser utilizados moicanos e raspados. [..] Vanessa contou que usa seu cabelo longo e armado desde o início do ano, mas ele se tornou uma questão para a escola depois que sua família reclamou das provocações feitas pelas outras crianças.

“Houve pessoas que a provocaram por seu cabelo, e me parece que estão culpando-a por isso”, disse Sabrina. “Vou lutar pela minha filha. Se ela quer usar o cabelo assim, ela vai mantê-lo assim. Há pessoas que podem pensar que usar o cabelo natural não é apropriado. Mas ela é bonita assim.”

Responsáveis pela escola disseram em um comunicado que não estão pedindo que a menina use produtos ou corte seu cabelo, mas que ela o modele de acordo com as regras da escola.

Lida a notícia, Um ponto em específico merece atenção: o fato da escola ter normas quanto ao uso de roupas e cabelos, proibindo moicanos e cortes diferenciados. Ou seja, alguém pode argumentar “mas a mãe sabia disso quando matriculou a filha!” e sim, provavelmente sabia.

Para mim, porém, não tem importância alguma, estamos falando de bom senso, de aceitação a diversidade e a escola deveria ser a principal motivadora da aceitação e inclusão de qualquer tipo de diferença. E vejam bem, não estamos falando de um caso grave, de alguma criança que possui dificuldade ou certa deficiência, estamos falando de um cabelo natural (!)

Se a escola não consegue lidar com isso, com o que conseguirá?

Ah, sim, preparar os alunos pro SAT (“vestibular” norte-americano), entretanto, muito mais difícil do que isso é preparar para a vida – e fujo aqui de poesia barata, sentimentalismo etc. Existem escolas tão preocupadas com a aprovação em uma entidade, que não se preocupam com as próprias desaprovações entre alunos e no que isso pode acarretar.

Não deveria ser ela a ameaçada a expulsão (ou, como diz a escola, a “solicitada”), mas sim os alunos que debocham/incomodam a menina por causa de seu cabelo – que é absolutamente lindo, por sinal. Conviver com as diferenças não significa apenas sentar na mesma classe que um negro, ou beber uma cerveja com um gay, a aceitação vai muito além disso.

E não aceitar algo natural dessa menina, não é apenas uma forma de preconceito, mas, de crueldade.


Menina trancada em casa passava fome e sede

Postado em 17/7/2014 em 08:17 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

A polícia resgatou, neste domingo (13), uma menina de dez anos presa dentro de casa, no Paranoá (DF). A mãe da menina havia saído de casa dois dias antes e deixado geladeira e armários com alimentos trancados. Com fome e sede a criança resolveu gritar, pedindo ajuda aos moradores vizinhos. Depois de ser resgatada pela PM a criança foi levada para a delegacia do Paranoá.


pai mantém filhas isoladas em casa durante anos e tem três filhos com cada uma

Postado em 16/7/2014 em 08:39 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Vítimas disseram em depoimento que não podia sair de casa e eram ameaçadas de morte

 Um homem de 45 anos foi preso suspeito de abusar das duas filhas, atualmente com 22 e 24 anos, por mais de dez anos e mantê-las isoladas em casa sob ameaça de morte em Rio Negrinho (SC). Segundo a polícia, o suspeito teve três filhos com cada uma das jovens. As crianças têm entre um e nove anos.

Inicialmente, o R7 divulgou que as vítimas eram mantidas em cárcere privado, mas a polícia explicou que elas não ficavam trancadas na casa.

O pai só foi detido após uma denúncia anônima feita à polícia. A filha mais nova informou em depoimento que o pai ameaçava a todos de morte e nunca permitiu que elas saíssem de casa, inclusive para frequentar a escola. Uma delas está grávida do quarto filho. 

A família vive em uma casa isolada na zona rural da cidade. A mulher do suspeito confirmou o caso e disse que também era ameaçada. Ela não será incriminada, segundo a polícia, por também ser vítima do homem.

A assistência social e o Conselho Tutelar foram acionados para ajudar no caso. O homem confirmou em depoimento que realmente abusou das filhas, mas alegou possuir um distúrbio mental. Ele foi encaminhado ao presídio da cidade.

 


Homem é preso com imagens ponográficas de menores na Rocinha

Postado em 16/7/2014 em 08:36 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Um homem acusado de possuir material pornográfico envolvendo menores , foi preso neste domingo, por policiais civis. Ele foi detido na favela da Rocinha, após a denúncia de um morador da comunidade. Na casa dele, a polícia apreendeu vídeos pornográficos com imagens de adolescentes. O preso e o material apreendido foram levados para 11ª DP (Rocinha).
 


Homem é flagrado se excitando na frente de crianças e mulheres no McDonalds

Postado em 13/7/2014 em 07:42 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Caso ocorreu em uma unidade da rede de fast food em Middlesbrough no Reino Unido.

Um homem de 34 anos foi flagrado se excitando de forma indiscreta em uma filial da rede de fast food McDonalds. Ele se acariciava na frente de crianças e mulheres.

James Scott admitiu o ato posteriormente. Ele alegou sofrer de depressão.

O caso ocorreu em Middlesbrough, no Reino Unido, no dia 7 de novembro do ano passado. Após se declarar culpado de ultrajar a decência pública, ele recebeu uma punição onde deverá cumprir três anos de ações comunitárias.

Segundo informações, Scott realizou o ato por meia hora. O advogado do acusado afirmou que ele tomava antidepressivos e sofria com problemas de saúde mental.
 


Menina de 10 anos é estuprada por vizinho que se vingou após ter sido espancado por pai da vítima

Postado em 13/7/2014 em 07:41 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Menina de 10 anos foi estuprada por vingança de vizinho que havia sido espancado supostamente por seu pai da vítima na Índia.

A polícia indiana disseque uma menina de 10 anos de idade foi estuprada sob as ordens de um chefe da aldeia, como castigo, depois que seu pai bateu em um vizinho que invadiu sua casa.

Segundo relatos, o pai da menina atacou seu vizinho depois que o homem entrou em sua casa embriagado, por volta da meia-noite, e tentou molestar sua esposa.

No dia seguinte, o vizinho golpeado e ferido relatou o "assalto" aos anciãos em sua vila, no distrito de Bokaro, leste da Índia, que lhe permitiram estuprar a menina como vingança.

Um jornal disse que o homem de 25 anos arrastou a menina para o mato a uma curta distância e a estuprou, contra os gritos da mãe da criança.

A polícia disse ao jornal que uma hora mais tarde a mãe pegou a filha nos arbustos, onde foi encontrada deitada no sangue.

Outros moradores teriam ficado com medo de intervir no caso e eles próprios se tornaram alvos.

No entanto, a polícia divulgou algumas informações conflitantes sobre o suposto incidente. Segundo oficiais, a menina tinha 14 anos e não 10, além de ser irmã ao invés de filha.

O caso angustiante entra para uma lista de estatísticas chocantes de estupros na Índia, onde os dados do governo revelam um ataque contra mulheres a cada 22 minutos.
 


Mulheres relatam como foram assediadas nas festas da Copa na Vila Madalena

Postado em 12/7/2014 em 01:01 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

 Na última segunda-feira, foi publicado a reportagem "Driblando na Vila Madalena: quando o xaveco é quase uma agressão sexual", relatando os assédios que sofriam as mulheres em meio às multidões que se formavam para ver os jogos e festejar na Vila Madalena, em São Paulo. Nos dias subsequentes, o portal passou a receber relatos de internautas que também tinham sofrido assédio nas festas da Copa.

Assim, a reportagem voltou às ruas em festa pela Copa para flagrar casos em que o flerte e a paquera se convertem em puxões de cabelo e beijos forçados, e também para ouvir o que tinham a dizer as torcedoras que frequentam as fan fests, a Vila Madalena e outros bairros boêmios das cidades-sede do Mundial. O resultado está no vídeo e nos depoimentos desta reportagem.

Beijo forçado

"Fui à Vila Madalena na noite do dia 30 de junho, véspera do jogo da Argentina contra a Suíça, no Itaquerão. Estava lotado de argentinos, e eu estava com um amigo brasileiro. Estamos no meio da rua e um argentino chegou e, sem falar absolutamente anda, tentou me dar um beijo, segurando minha cabeça. Eu segurei de volta no rosto dele e disse que, daquele jeito, ele não tinha a menor chance comigo nem com nenhuma brasileira. Os próprios amigos que estavam com ele começaram a rir, e eu fui embora feliz". Letícia Bahia Diniz, 30 anos, psicóloga

Puxões e xingamentos

"Fui à Fan Fest em São Paulo no dia do jogo do Brasil contra Camarões (26/6). O jogo acabou e começou a festa. Em menos de duas horas, foram três abordagens em clima de fim de Carnaval, pegando no cabelo, puxando pelo braço, não ouvindo eu falar "Não!". Eram todos brasileiros. Saí de lá e fui para um bar na Vila Madalena. Lá, recebi cantadas grosseiras de chilenos, colombianos e argentinos. Quando eram rejeitados, xingavam". M.K., 26 anos, arquiteta
Ataque dentro do carro

"Na madrugada do dia 12 de junho, noite anterior ao primeiro jogo da Copa, fui para a Vila Madalena. Passamos de carro por este cruzamento que está sempre lotado [um dos cruzamentos da rua Aspicuelta]. As janelas estavam abertas, um croata enfiou a cabeça para tentar me beijar. Ele estava com um amigo brasileiro que ficava incentivando a 'brincadeira'. Eu comecei a xingar, empurrar a cabeça dele para longe, mas ele era mais forte e colocou quase metade do corpo para dentro. Então, comecei a forçar o vidro e consegui fechá-lo. Não contentes, eles abriram minha porta e começaram a me puxar pelo braço enquanto falavam na língua deles, e os brasileiros traduzindo as palavras nojentas que diziam: beijar, sentir 'isso e aquilo' de um europeu. Então, comecei a chutá-los, mas eles tentavam me puxar pela perna. Finalmente consegui fechar a porta e saímos dali." W. B. G.

De brasileiros e estrangeiros

"Tudo o que foi mencionado na matéria, tenho vivido todos os dias, mesmo antes de começar a Copa. Levei uma encoxada de croatas, puxão de cabelo, recebi elogios, fui xavecada, esnobada e também xingada. Tentei levar na esportiva. Resumindo a ópera, achei brasileiros até mais atirados (e matando cachorro a grito) do que gringos." M. L. S.

Sem medo da polícia

"Estive na Vila Madalena no dia de Brasil e Chile. Depois do jogo, falei para minha prima: 'Vamos passar ali no meio do povo pra ver o movimento'. Como fui inocente! Nem imaginei que a gente pudesse ser assediada de forma tão agressiva. Um homem segurou meu braço e tentou me beijar a força, puxei meu braço e saí. Depois, a gente continuou andando depressa e sem olhar pros lados. Vieram uns quatro e nos cercaram. Um deles levantava a camiseta para mostrar que era malhado. Oi? Como se isso fosse fazer diferença. Falei: 'Sai da frente que vou começar a gritar, a polícia está bem ali'. Continuamos andando enquanto eles nos xingavam." S. A. A.

Nem cheguei a ir

"Toda semana, vou para algum bar com amigas e amigos, mas já comecei a ouvir os relatos de conhecidas desde o primeiro dia [da Copa do Mundo]. Na vida, já passei por situações muito ruins com homens que me forçaram a fazer coisas que eu não queria, mas fiz para poder me livrar daquilo. Então, mesmo gostando muito da Vila Madalena e sabendo que deixar de ir é me privar da minha liberdade, me senti acuada e acabei não indo nem curtindo a festa." R. J.

Não é só na Vila Madalena

"Fui à Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro, no dia 4 de julho. Em razão da Copa, a cidade estava lotada de gringos e a região mais cheia do que de costume. Sexta à noite, gente jovem e bonita, clima de paquera, um ambiente legal, certo? Errado. Pras mulheres, estava especialmente hostil. Alguns estrangeiros tinham uma abordagem bem agressiva. Chegavam pegando na gente, abraçando, um tipo de contato bem íntimo e que eu não tinha permitido. Dentre as coisas que mais me incomodaram estavam os olhares ameaçadores, umas perseguições pela rua, os esfregões e as encoxadas. Mas o que mais me deixou assustada foi um cara que me agarrou enquanto eu passava perto dele. Ele era mais forte que eu, então, não teve dificuldade para me puxar pelo cabelo, me prender entre os braços e tentar forçar um beijo. Não adiantava dizer que eu não queria, ele continuava me elogiando e me apertando. Até perguntou o porquê de eu não querer beijá-lo, falando 'você sabe que eu sou lindo, sou gostoso, todo mundo quer me pegar hoje'. Quando eu consegui me soltar, ele me chamou de 'branquinha escrota'. Ninguém ao redor sequer esboçou uma reação." M. B.

Metrô não é seguro

"Na abertura da Copa, precisei pegar o metrô antes do jogo. O empurra-empurra era esperado, havia centenas de pessoas formando um corredor em que era impossível evitar o contato físico, mas senti claramente um apertão na bunda. Olhei para trás para identificar o agressor, que ficou com medo de ser pego e acabou se entregando, ao me olhar de volta e perguntar 'o que foi?" na defensiva. Ou seja, realmente houve uma má intenção e uma violência. Na semi-final, voltando do Itaquerão, enquanto esperava o fluxo de torcedores diminuir para voltar, três brasileiros fecharam uma rodinha ao meu redor e um tentou roubar o beijo, segurando meu rosto. O nojo numa situação dessas é indescritível, por mais que o homem tente ser educado nas palavras para se aproximar. É revoltante. Quando o metrô esvaziou, embarquei e um animado grupo de argentinos fazia festa e interagia com todo mundo no vagão. Sobrou pedidos de "beijinhos", "selinhos" e "biquinhos" para as meninas, que foram cercadas, para entrar na brincadeira de dançar no meio da festa deles no vagão. Não passou disso, mas é desagradável lidar com essa noção de que toda mulher está disponível e ter que 'provar' que tem um namorado para ser deixada em paz". D. V. 


Idoso é preso acusado de estuprar as duas netas desde 2010

Postado em 12/7/2014 em 12:56 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Policiais da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) prenderam, na tarde desta quarta-feira, um homem, de 60 anos, acusado de estuprar as duas netas desde 2010. Nesta época, as crianças tinham menos de 12 anos. Em depoimento, o idoso confessou o crime e disse que se sente atraído e seduzido pelas meninas.

De acordo com o delegado Marcello Maia, titular da Dcav, a mãe das jovens compareceu à especializada, há um mês, para registrar a violência sofrida pelas filhas. Ela apontou o sogro, avô paterno das duas, como autor dos abusos, que teriam começado quando elas passaram a morar com o idoso, na Zona Oeste do Rio.

Ainda segundo Maia, dias antes a criança mais nova contou à mãe que havia fugido da casa do avô por causa do estupro. Ela relatou que o criminoso as ameaçava dizendo ser amigo de milicianos da região e que as matariam se elas o denunciassem.

O acusado responderá pelo crime de estupro de vulnerável, com penas de oito a 15 anos de prisão, e por coação no curso do processo, com pena de um a quatro anos, por ter ameaçado de morte as vítimas e a mãe das meninas, durante as investigações.
 


Estudante brasileiro de 25 anos está preso na Alemanha, acusado de estuprar cinco mulheres

Postado em 11/7/2014 em 08:57 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

O Ministério das Relações Exteriores está acompanhando o caso e prestando assistência ao brasileiro



Um estudante brasileiro, de 25 anos, está preso em Munique, na Alemanha, acusado de estuprar cinco mulheres. A informação foi confirmada pelo Itamaraty. O jovem está na Alemanha desde agosto do ano passado, de acordo com a família, para estudar engenharia. O Ministério das Relações Exteriores está acompanhando o caso e prestando assistência ao brasileiro.

 


Tocaram o terror: menores invadem casa, levam carro e ameaçam criança de estupro

Postado em 10/7/2014 em 09:46 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Moradores foram ameaçados de morte. Celulares e R$ 4 mil em dinheiro também foram levados


 Cinco menores invadiram uma casa e roubaram um carro, dois celulares, um computador e R$ 4.000 em dinheiro. O crime aconteceu nesta quarta-feira (9), em Ceilândia. O filho e o sobrinho da enfermeira foram rendidos, do lado de fora da casa da enfermeira Luana Oliveira. Em seguida, ela, a filha, o filho e o sobrinho foram trancados em um quarto da casa. 

— Tínhamos acabado de lavar o carro, do lado de fora. Meu filho foi abordado por cinco pessoas. Eles pediram o celular e entraram com eles (sic) para dentro de casa. 

Segundo a enfermeira, os cinco foram até o banheiro onde sua filha, de oito anos, tomava banho. Um dos acusados disse para os outros: “tem uma fresquinha aqui”. A dona da casa pediu para que eles não fizessem nada com a menina. 

— Eles pegaram minha filha, que estava pelada, e jogaram no quarto onde eu estava com meu filho e sobrinho.  

 Ainda durante o assalto, as vítimas foram ameaçadas de morte.  

— Um deles falou que eles iam nos matar porque não aconteceria nada com eles, por serem menores. 

A polícia ainda não encontrou os acusados pelo crime. O caso é investigado pela 19ª Delegacia de Polícia. 

 


Jovem indiana é estuprada como punição de crime sexual cometido por irmão

Postado em 10/7/2014 em 09:27 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

A justiça local determinou que a jovem fosse estuprada pelo marido da mulher agredida


 Uma jovem de 14 anos foi estuprada por ordem de um conselho local e como parte da punição aplicada ao seu irmão, que teria abusado de outra mulher no estado de Jharkhand, no leste da Índia, informou nesta quarta-feira (9) à Agência Efe uma fonte oficial.

Os fatos ocorreram no último domingo (6), quando um homem foi denunciado ao conselho local pelo estupro de uma mulher na cidade de Gulgulia Dhora, informou o delegado Virender Kumar.

A partir desta denúncia, o conselho "panchayat", um sistema de justiça paralela, determinou que a irmã do agressor fosse estuprada pelo marido da mulher agredida, acrescentou a fonte.

 Posteriormente, a polícia deteve o irmão da jovem violada, o marido da mulher agredida e o prefeito da cidade.

Muitos povos da Índia vivem em sistema de conselhos rurais que dividem a justiça entre a polícia e os tribunais, reivindicando uma legitimidade paralela. No entanto, suas decisões se baseiam em tradições que perante a justiça indiana são inaceitáveis, como os "crimes de honra", a proibição de casamentos entre pessoas da mesma cidade ou penas de exílio.

Em janeiro, uma mulher foi estuprada por dez membros de um conselho tribal como castigo por manter uma relação com um homem de outra cidade em um povoado do leste da Índia.

O estupro e o assassinato de uma jovem estudante de Nova Délhi em dezembro de 2012 gerou uma série de protestos e deu início a um debate sem precedentes em relação à situação da mulher no país. Desde então, a imprensa indiana passou a dar espaço aos crimes sexuais contra mulheres.

 


Jovem é acusada de tentar sair da Inglaterra com R$ 60 mil na calcinha para financiar jihadistas na Síria

Postado em 10/7/2014 em 09:25 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Caso aconteceu em janeiro, mas a acusada só foi ouvida esta semana

 Uma jovem britânica que, em janeiro deste ano, tentou sair da Inglaterra com cerca de R$ 60 mil (20 mil euros) em dinheiro dentro da calcinha para financiar jihadistas que lutam na Síria prestou depoimento a um júri na terça-feira (8).

Nawal Msaad, de 27 anos, levantou suspeita no aeroporto e foi levada a uma sala privada, onde tirou o dinheiro enrolado em papel filme e entregou à polícia.

A jovem contou que embarcaria em um voo para Istambul e que estava servindo de "mensageira de confiança" para uma amiga identificada como Amal el Wahabi.

 Para realizar a entrega, Nawal afirmou que recebeu cerca de R$ 3.000 (mil euros) como pagamento, segundo informações do jornal britânico The Mirror.

Seu trabalho era levar o dinheiro até a Turquia a pedido do marido de Amal, Aine Davis, que se juntou aos combatentes na Síria.

Agora, as duas mulheres irão a julgamento acusadas de financiar o terrorismo a ambas negam as acusações.

Davis deixou Londres em julho do ano passado para seguir a causa jihadista, mas manteve contato frequente com Amal, mãe de seus dois filhos.

Assim como as duas mulheres envolvidas no caso, ele também nasceu em Londres, mas tem ascendência da Gâmbia.


Sonhos roubados: nigerianas são enganadas para deixar seu país e forçadas a se prostituir na Itália

Postado em 9/7/2014 em 09:10 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link


Africanas vão para a Europa com a promessa de que trabalharão como babás ou em fábricas

Para muitas africanas, o sonho de ter uma vida melhor é idealizado com a migração para a Europa. Mas, na busca por este objetivo, milhares de mulheres nigerianas estão sendo enganadas. Ao invés de realizarem seu sonho, elas passam a viver um verdadeiro pesadelo.

De acordo com o site britânico Daily Mail, elas são levadas à Itália sob o pretexto de que trabalharão como babás ou como funcionárias de fábricas. No entanto, acabam sendo forçadas a se tornarem prostitutas para pagar as dívidas da viagem e da acomodação, que podem custar mais de R$ 150 mil.

A fotógrafa italiana Elena Perlino registrou esta triste realidade nas ruas da Itália

Policiais encontram uma mulher nigeriana trabalhando como prostituta na periferia de Turim. Oitenta por cento das mulheres traficadas para a Itália são originárias de Benin City, no sul da Nigéria

Nigerianas que trabalham como prostitutas no norte de Turim esperam por clientes nas ruas. Cenas como esta são muito comuns na região, e a fotógrafa diz que decidiu partir do que via nas ruas da cidade para contar uma história

Um mediador cultural nigeriano oferece camisinhas e apoio psicológico para algumas das jovens prostitutas que trabalham perto de Acerra. O projeto fotográfico envolve muitas cidades diferentes, como Turim, Milão, Gênova, Roma, Nápoles e Palermo 

Mulheres se refugiam em um abrigo católico para as vítimas do tráfico de pessoas. Elena Perlino trabalhou neste projeto durante muitos anos, e seu principal foco foi o que se passava com as imigrantes nigerianas que estavam na Itália

Nigeriana permanece em centro de detenção temporário. Prisões, violência e abusos são comuns para as imigrantes que trabalham como prostitutas

Polícia italiana confere os documentos de uma mulher nigeriana que trabalha como prostituta. Perlino revela que muitas mulheres nigerianas vão à Itália na esperança de conseguir ganhar dinheiro para ajudar suas famílias na África. Elas acreditam que trabalharão como babás ou em fábricas, mas são enganadas pelos traficantes e levadas para o mercado sexual

Uma nigeriana que trabalha como prostituta no interior do país é levada para a delegacia ao ser encontrada sem passaporte. O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime declarou a Nigéria um dos 8 países com o maior número de tráfico humano do mundo

 


Mulher é estuprada durante encontro em Ribeirão das Neves (MG)

Postado em 9/7/2014 em 09:06 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Vítima teria conhecido o suspeito em uma festa e eles marcaram de sair



Uma mulher foi estuprada na noite de segunda-feira (7) durante um encontro em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. 

Segundo a vítima, ela conheceu o suspeito há uma semana em uma festa em Vespasiano, também na Grande BH, e conversavam diariamente pelo telefone.  

Na última segunda-feira, eles marcaram um encontro e foram até um bar no bairro de Justinópolis onde tomaram duas cervejas e conversaram. Em seguida, a vítima pediu que o conhecido a levasse para casa. 


No entanto, ao entrarem no carro, o suspeito teria trancado as portas e dirigido até um drive-in no bairro Viena. No local ele determinou que a vítima ficasse calada e a obrigou a manter relações sexuais com ele por aproximadamente uma hora. Ele também a ameaçou de morte. 

Após deixar a mulher, ela foi até uma unidade da PM (Polícia Militar) e registrou a ocorrência. Entretanto, não sabia o nome completo do suspeito e não teria registrado o número do telefone dele em seu celular. 

Ela foi encaminhada ao Hospital Municipal Odilon Behrens e a ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Atendimento à Mulher.
 


Idoso é preso acusado de abusar de menina de 8

Postado em 8/7/2014 em 04:28 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Antônio ele já foi preso anteriormente pelo mesmo crime onde cumpriu 1 ano e dois meses de prisão

Por volta das 15hs desta segunda-feira (19) a Policia Militar foi acionada a se deslocar a uma madeireira na Linha C-65, próxima ao Aeroporto de Ariquemes – RO onde segundo informações havia ocorrido uma tentativa de estupro de uma menina de apenas 8 anos de idade.


Quando a guarnição chegou ao local fez contato com o proprietário da madeireira que relatou o qual informou que há muito tempo vem monitorando o referido infrator posteriormente identificado como sendo Antônio Pereira dos Santos (67 anos), pois achou estranhas as atitudes do mesmo com as crianças.



Relatou ainda que estava em seu escritório quando avistou Antônio Pereira na casa de um de seus funcionários que estava na cerraria trabalhando como se estivesse a abrindo o zíper e achou estranho e foi verificar o que estava acontecendo e avistou a vítima na frente do Antônio com a roupa arriada e no momento em que o proprietário da madeireira saiu desesperado justificando a situação chamando o mesmo de amigo e que não era aquilo que ele estava pensando e que ele jamais faria isso e o empresário se apossou de um pedaço de madeira e Antônio Pereira saiu em disparada para uma cerraria que fica a poucos metros do local onde o mesmo trabalha.



O pai da criança vítima do abuso levou a guarnição policial até a serraria onde Antônio Pereira trabalha, onde ele foi localizado empilhando madeira para lenha.



Diante dos fatos Antônio Pereira recebeu voz de prisão e foi conduzido juntamente com os demais envolvidos e o Conselho Tutelar a Delegacia de Polícia Civil para medidas cabíveis.



Segundo a criança vítima de Antônio Pereira em datas anteriores ele teria tentado violentar a mesma e a ameaçado de morte caso ela contasse pra alguém.



Segundo relato do próprio Antônio Pereira ele já foi preso anteriormente pelo mesmo crime onde cumpriu 1 ano e dois meses de prisão no fechado, pouco mais de 2 anos no albergue e atualmente assina condicional no fórum a cada 2 meses.


Durante consulta no sistema de registro de ocorrência da polícia civil foi constatado que Antônio Pereira foi preso no dia 05/02/2008 na BR 364, KM 547 acusado de abusar sexualmente de uma menina de 4 anos de idade, onde a mãe da criança o flagrou com as genitais na boca da criança e ao avistar a mãe empreendeu fuga no meio do mato, porém foi localizado e preso pela PM.



O fato ocorrido na presente data ocorreram na frente dos irmãos da vítima de 3 e 4 anos que também estavam na residência.

 


suspeito de estuprar três crianças é preso

Postado em 8/7/2014 em 04:25 arquivado em aconteceu de verdade - 0 Comentários - Incluir Comentário - Link

Após uma rápida busca, Valdeci foi encontrado e contra ele, consta um mandado de prisão.

Valdeci Pedro dos Santos, 47 anos, foi preso na tarde desta sexta-feira (20), acusado de ter praticado abuso sexual contra três crianças. O fato ocorreu na Linha Progresso, que fica localizada após o final do Bairro Ulisses Guimarães.

 

Segundo informações prestadas pelo CB PM Fonseca, ele, juntamente com seus auxiliares,  SD PM Pisa e SD PM De Miranda, foram acionados via CIOP (Centro Integrado de Operações Policiais), à comparecer no local supracitado, onde segundo relatos de populares, havia um suspeito de abusar de crianças.

De posse de tais informações, os PMs foram ao local e souberam que o suspeito havia se escondido. Após uma rápida busca, Valdeci foi encontrado e contra ele, consta um mandado de prisão.

 

Diante dos fatos, o suspeito recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a central de polícia, onde será confeccionado um boletim de ocorrência pelo mandado de prisão e em seguida, Valdeci será encaminhado para a DEPCA (Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente), onde prestará esclarecimentos sobre as acusações de estupro.

 


« Última Página :: Próxima Página »

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...